sexta-feira, 15 de março de 2013

Budapeste – Neve e Castelo (Praticamente um conto de fadas)

Ahhh nem acredito que consegui uma brechinha no meu tempo pra voltar a relatar sobre a viagem à Europa. Já estava ficando triste por não ter tempo de continuar a saga..rsrs.
No dia anterior, a Michelle tinha nos dito que haveria uma grande probabilidade de nevar. Eu até achei que ela estava tirando uma onda com a nossa cara, pois estávamos em pleno outono ainda. Eu não sabia se ficava animada com essa possibilidade (pois eu nunca tinha visto neve na vida) ou se eu me desesperava (já que não tinha casaco tão pesado pra enfrentar neve).
E eis que no nosso segundo dia em Budapeste, a Michelle nos acorda às 07 da manhã toda animada e dizendo a frase que eu só pensei que ouviria nos filmes: “Está nevando!!!!”. Gente, eu estava morrendo de sono, meio que relutei pra acordar. Ok, ok eu nunca tinha visto neve, mas eram 07 da madrugada... Temos que levar isso em consideração...rsrs. Mas então, quando eu abri a janela, vi aqueles floquinhos brancos caindo do céu e parando no parapeito da janela, não pensei duas vezes. Peguei o meu casaco mais pesado, coloquei por cima do pijama e lá fomos nós pro quintal da Michelle às 07 da madrugada, rindo como crianças porque estava nevando. Michelle tirou algumas fotos nossas da barriga pra cima, porque não queríamos sair com calças de pijama...kkkkkkk.
"Não mostra a calça de pijama Mi.."..rsrs
Era a felicidade em pessoa...
Passada a fase vi-neve-pela-primeira-vez, o frio foi apertando e resolvemos voltar para o quentinho da casa da Mi. Tomamos um café da manhã típico europeu regado a chá e pão com nutella e fomos para a rua.
Castelo de Buda
Como o nosso passe de ônibus ainda estava valendo, fomos novamente para o centro e seguimos para a Ponte das Correntes. No dia anterior nós havíamos passado por ela, mas não chegamos a atravessar. Acredito que essa seja uma das pontes mais bonitas que eu vi, com leões enormes nas suas extremidades e cortando o Rio Danúbio...Lindo, lindo, lindo. Neste dia estava frio demais, como tinha nevado no início da manhã devia estar fazendo uns 5 graus. E atravessar uma ponte enorme nessa temperatura, não é a coisa mais agradável do mundo. Pausas e mais pausas para fotos e a cada vez que eu parava para fazer uma pose, parecia que os meus ossinhos iriam congelar...rsrsrs.
Ponte das Correntes...Linda, não?
Era muito frio pra uma pessoa só...
Depois de atravessada a ponte, chegamos ao castelo de Buda.
O castelo fica no alto de uma colina. Você pode subir num tipo de bondinho (tipo o do cristo redentor) ou subir a pé mesmo. Eu super recomendo subir a pé, pois você consegue ter uma vista linda da cidade com a ponte das correntes de fundo. A subida é bem tranquila e a paisagem...sublime!
Início da subida para o castelo de Buda
Falei que valia a pena subir a pé...
O castelo é dividido em diversas alas e é muito imponente, como todo castelo normalmente é. E eu realmente fico impressionada com a grandeza dos monumentos na Europa. Em uma época em que não existiam recursos tecnológicos, como as as pessoas conseguiam fazer obras tão lindas? #QueBruxariaÉEssa? rsrs
Nós ficamos um bom tempo ali nas áreas do castelo, entramos e saímos em diversas áreas livres. Você não precisa pagar para ficar ali pelo lado de fora. Se quiser conhecer museus e alas dentro do castelo aí sim...Mas nós não entramos não. A viagem estava no fim e parecia que o meu cérebro não ia absorver muita coisa mais sobre datas e nomes de reis e rainhas. Preferi só apreciar a arquitetura mesmo e ficar embasbacada com a paisagem.
Arredores do castelo...
Ai, ai...é tudo muito lindo gente!
Enquanto estávamos por ali comemos um pãozinho típico da hungria. Nós vimos isso também em Praga, mas não chegamos a comer. Era uma massa de pão que era assado enrolado num tubo e quando ficava pronto era salpicado com canela e açúcar. O nome do pão é: Kürtőskalács e não me peça para falar, porque não tenho a menor ideia da pronúncia...rs. Nós pedimos um para experimentar e era delicioso. Caiu muito bem com um chá quentinho que pedi em um outra barraquinha nos arredores do castelo. Como sempre, comi o pãozinho de luva e tudo porque o frio estava muito tenso...rsrs.
Comendo Kürtőskalács
Como era outono, o dia escurecia muito cedo, por volta de 17h parecia que eram 20h da noite. Nós fizemos o mesmo caminho de volta, tiramos mais fotos com a ponte das correntes de fundo, mas dessa vez com ela toda iluminada. Lugar lindo, lindo, lindo!
E a noite cai...
Ice Bar
Enquanto estávamos voltando pra casa, lembramos que queríamos ir ao Ice Bar. Num dos primeiros posts de Londres eu escrevi que queríamos ter conhecido o Ice Bar de Londres, mas que chegamos lá estava tendo um evento e não podíamos entrar. Acabou que não conseguimos ir e resolvemos deixar para fazer isso em Budapeste. Até porque seria muuuuuito mais barato. A entrada do Ice Bar em Londres era 16 pounds (em torno de 56 reais) em Budapeste a entrada custava em torno de 9 reais...Muito melhor, não?
Quando você paga o ingresso tem direito a um casaco, luvas e um drink não alcóolico. Você também pode pagar um pouco mais caro para ter direito a uma bebida alcóolica, mas eu acho que não vale a pena, já que você não está ali pra beber e sim pra tirar fotos das esculturas de gelo, até porque, no frio que faz lá dentro você não aguenta ficar nem 10 minutos lá!
Acho que faz uns -2 graus negativos aí dentro...
A pessoa tá rindo, mas tá congelando...rs
Nós entramos, tiramos foto, tomamos nossos “bons drink” e saímos. O lugar era pequeno, talvez  o de Londres fosse maior, mas entre 56 reais e 9 reais, fiquei com a segunda opção. Era fim de viagem e a grana estava começando a apertar...rsrs. E a grana estava apertando tanto que eu entrei em contato com o lugar que fizemos o nosso Visa Travel Money para carregar...Mas como nem tudo sai do jeito que a gente planeja e Murphy sempre está aí para o que der e vier, eu iria me estressar com relação a isso. Mas isso ia acontecer em Roma...e que estresse...rsrs.
Como tudo o que é bom termina, nosso último dia em Budapeste estava chegando e estávamos indo para o nosso último país...Itália!!! Mas não sem antes passarmos por um perrengue básico chamado Vôo Low Cost na Europa!
E a aventura continua!

Um comentário:

  1. Em que mês vc foi? Muito legal seu relato me deliciei aqui!

    ResponderExcluir